Boa noite, hoje trago a vocês uma nova entrevista, dessa vez com a autora Rosa Mattos, queria agradecer a ela, por te topado participar.

Mais antes da entrevista vamos conhecer um pouquinha dela:

Rosa Mattos é gaúcha e mora no Rio Grande do Sul. É formada em Economia e trabalha numa empresa de engenharia, em Porto Alegre. 111611401307796G

Em 2011 publicou seu primeiro livro intitulado Coletânea de Contos, com uma seleção de seus contos e prosas. No ano seguinte, lançou Sopros de uma Flor, somente com poemas e pensamentos.

Participou das antologias Mentes Inquietas e Horas Sombrias da editora Andross, com um conto de terror e outro medieval, em 2013 e 2014.

Paredes Vivas foi sua estreia como romancista, em setembro/2013, pela editora Dracaena. O romance foi indicado ao Prêmio Oscar Literário 2014 por um site literário e venceu na categoria melhor livro nacional, em votação popular.

Concluiu seu segundo romance O medo de Virgília em 2014, publicado pela Editora Selo Jovem. Um thriller psicológico. Uma história de amor, medos e loucuras. Virgília foi escolhida a personagem do ano, pelo blog Da Imaginação à Escrita, em sua Retrospectiva Literária 2014.

Em 2015 publicou o romance Perto do Fim pela Agbook. Um misto de drama e suspense. Uma história de amor e superação.

1) Como começou seu envolvimento com a escrita? Alguém te influenciou?

Influenciada diretamente não. O hábito de criar histórias começou a partir dos 13 anos e acredito que surgiu naturalmente sem eu dar maior importância. Meu primeiro texto com personagens foi uma trama sombria e se chamava “O precipício”. Bem mais tarde fiz um blog “Contos da Rosa” (ainda ativo) para publicar minhas invencionices e interagir com outros autores. Tomei gosto pela coisa e não parei mais de escrever deste então.

2) Você utiliza algum material como referência para escrever, ou é pura e simplesmente inspiração momentânea.

Do nada, mentalmente a história vai ganhando corpo, com começo, meio e fim, sem eu forçar nada. Crio a narrativa inteira na cabeça e vou fazendo anotações num caderno. Quando começo a escrever pra valer, já tenho os destinos dos personagens traçados. Então, creio que eu utilizo uma mistura dos dois: material de suporte e ideias previamente concebidas, mas que continuam fluindo livremente à medida em que vou resgatando todas elas e montando a história.

3) Como são criados seus personagens? São inspiradas em alguém? Famoso ou não?

Não me inspiro em ninguém concretamente. Quando crio um personagem, masculino ou feminino, procuro entrar em sua pele, vivendo com ele as situações expostas. E nesse processo criativo eu vou moldando a personalidade de cada um, expressando nas descrições e diálogos os seus sentimentos, pensamentos, atos e intenções, tentando torná-lo o mais real possível. Afinal, se o personagem não convencer o leitor, isso poderá arruinar o livro como um todo, mesmo se a história for boa.

4) No início, que tipo de escritor/livro te influenciou? E agora?

Stephen King foi o meu autor favorito durante muitos anos. Ainda é. Sua mente imaginativa me encanta. Atualmente leio um pouco de tudo, sem perseguir o estilo de nenhum escritor em particular. Tenho uma predileção por thriller psicológico, dramas e suspense.

5) De suas obras, qual é sua preferida? E porque?

Tenho um afeto especial por todas as minhas obras (que nem são tantas assim). rs

6) Qual seu próximo livro?

Estou amadurecendo umas ideias novas e fazendo anotações para um novo romance que já tem título, capa e enredo, mas ainda está ganhando forma e por isso prefiro não revelar nada por enquanto.

7) O que você mais gosta nas suas histórias?

Tenho conseguido criar tramas leves e fluídas, mesmo quando o tema é denso e sombrio. Fico satisfeita de conseguir esses resultados porque eu pessoalmente aprecio thriller psicológico e suspense, mas com uma dose sutil de humor junto.

 

8) Fale-nos um pouco sobre seus livros já publicados

Em 2011 publiquei Coletânea de Contos, com uma seleção de 80 contos e prosas. No ano seguinte lancei Sopros de uma Flor, só com poemas e pensamentos. Ambos pelo Clube de Autores.

Participei de duas antologias, Mentes Inquietas e Horas Sombrias pela Andross Editora, com um conto de terror e outro medieval, em 2013 e 2014.

Paredes Vivas, meu primeiro romance, lançado em 2013 pela Editora Dracaena. Um romance sobrenatural, com atmosfera de terror psicológico.

O medo de Virgília, lançado em 2014 pela Editora Selo Jovem. Um thriller psicológico. Uma história de amor, mistérios e loucuras.

Perto do Fim, publicado em 2015 pela Agbook. Um misto de drama e suspense. Uma história de amor e superação.

No meu site oficial poderão encontrar os locais de venda das obras e também outras informações, aqui.

9) O que você acha das publicações de livros no Brasil? No seu caso, como aconteceu?

Acho que atualmente está bem mais fácil publicar um livro, pois temos várias opções ao nosso alcance. Daí a vendê-los é outra história. Quem publica uma obra, logo descobre que seu livro lançado – além de ser um sonho realizado – é um produtor a ser comercializado. E é aí que começam as dificuldades. É preciso fazer o leitor saber que seu livro existe, como acontece com qualquer produto a ser ofertado. Divulgar é essencial. Publicidade é o segredo. Os blogues literários são fundamentais para os autores amadores como eu. E sou muito grata a eles pelo apoio que recebi e continuo recebendo.

Iniciei pela autopublicação, fazendo um trabalho 100% autoral (arte da capa, revisão do texto, diagramação, registro na ABNT, conversão em e-pub e publicação na Amazon.). Valeu a pena, pois aprendi bastante. E quando enviei o original do meu primeiro romance para uma editora e ele foi aprovado eu precisei aprender ainda mais, pois não tinha noção nenhuma de como funcionava o meio editorial. É um aprendizado constante e quem ama escrever não deve desistir diante dos obstáculos. O importante é ter determinação e amor pela escrita, lendo e relendo a obra exaustivamente, para oferecer o melhor possível aos leitores.

10) Quais seus autores favoritos? Qual sua leitura atual?

Difícil citar. São vários, entre nacionais e estrangeiros. Minha leitura atual é O cirurgião, de Tess Gerritsen.

11) Qual a sensação de ver seus livros nas livrarias ou sites para venda?

Sensação de satisfação pelo trabalho realizado e tensão pela incerteza da receptividade junto aos leitores. Por outro lado é interessante ver algo que criamos de forma tão isolada e íntima, saindo da segurança de nosso controle e se expondo livremente ao alcance das mãos e olhos de várias pessoas. Dá um medinho. [rs] Mas quer saber? É a melhor parte. Adoro isso!

12) Quando você esta escrevendo, você pede conselhos a alguém?

Conselho, não. Mas costumo enviar os primeiros capítulos para alguém da minha família, à medida em que vou escrevendo, para me dizerem se estão gostando de como estou conduzindo a história e se ficam com vontade de lerem mais.

13) Dos seus personagens, qual é o seu preferido e porque?

Não tenho um personagem favorito. Mas posso citar Jeff Weber (do meu último romance Perto do Fim), pelo fato de ter sido o mais desafiante de ser criado, por ser o meu primeiro protagonista masculino. Além disso, a trama é narrada em primeira pessoa e me fez ter que entrar na pele de um homem e tentar expressar com realismo todos os seus sentimentos.

*

Muito obrigada, Franciele, pelo convite para dar essa entrevista ao Caçadoras de Spoiler. Eu simplesmente adorei! =)

Página do Facebook                                   Site                                           Skoob

Screenshot_1

 

Anúncios

10 comentários em “Entrevista com Rosa Mattos

  1. Olá!

    Muito legal conhecer um pouquinho sobre o processo de criação da autora.
    Gosto muito de livros de contos, poemas e poesias, de thriller psicológico também.
    Ela parece ser bem versatil, nao conhecia o trabalho da autora, vou procurar os livros dela.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oiii, tudo bem?
    Gostei muito das perguntas que escolheste para fazer a autora e até então não conhecia suas obras esse foi um momento de poder pesquisar mais, acho um amor ela ter explicado tão detalhadamente. Sua entrevista foi incrível.
    Beijinhos

    Curtido por 1 pessoa

  3. Não conhecia a autora e fiquei bem curiosa para ler seus livros, com slcerteza vou procurar saber mais. Também gosto muito de livros de thriller psicológicos e suspense. Espero que a autora tenha bastante sucesso.
    Bjus.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Hei!
    Que entrevista boa de ler, suas perguntas foram bem objetivas e as respostas da autora, bem detalhadas. Foi bom para conhece-la, pois eu não conhecia.
    Pelo visto, a escrita foi um dom que ela soube praticar e alimentar. Sucesso pra autora!
    Beijo

    Curtido por 1 pessoa

  5. Oiii, tudo bom?
    Não conhecia a autora, ainda, então adorei poder ler a entrevista. Acho incrível saber como começa o processo de escrita, quando, e como é criar os personagens. Achei demais a Rossa criar seus personagens desta forma, meio que “vivendo” as situações, pelo que eu entendi. E depois de ler a entrevista percebi que eu não sirvo para escrever um livro, não me imagino em nada disso, sou muito pouco criativa. hahaha
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s