A Seu Dispor
Coleção Vende-se Prazer #1
Autora: Isis Fogaça
Ano: 2017 / Páginas: 125
Idioma: Português
Editora: Independente

Resenha: A Seu Dispor conta uma história que humaniza a prostituição e a aborda de maneira digna e responsável.

Sinopse: Dom é o acompanhante de luxo mais famoso da capital paulistana. Se ter prazer com a profissão for pré-requisito para o sucesso, Dom é um homem bem sucedido. Ele trabalha como personal na Juyce Gym, academia que funciona 24 horas por dia e é fachada para os mais bonitos e bem pagos garotos (as) de programa. Preparado para uma noite de plantão na academia, ele é surpreendido com a chegada de uma mulher que não se encaixa, com suas roupas largas e seu olhar crítico, naquele ambiente. Catarina Muniz não deseja um programa, pelo contrário, deseja desvendar o segredo do sucesso do acompanhante de luxo. Tentando trilhar o próprio caminho, a jornalista deseja documentar a “indústria do prazer” e fará qualquer coisa para fazer com que Dom exponha sua história.  Ao seu dispor é o primeiro conto da coleção Vende-se prazer e trará luz a tão especulada profissão mais antiga do mundo. Essa coleção retratará o prazer em todas as suas esferas, em especial, o prazer carnal. Nos contos independentes, acompanharemos homens e mulheres dispostos a desfrutar do prazer absoluto. Aqui não cabem pudores ou hesitações. A única regra válida aqui é permitir-se! Permita-se levar por seus anseios e vontades. Permita-se vivenciar uma aventura repleta de descobertas e surpresas.

Resenha: A Seu Dispor conta uma história que humaniza a prostituição e a aborda de maneira digna e responsável.

Prostituição é um assunto polêmico em todos os ambientes de debate. É um problema social? Ou uma questão de livre arbítrio? O livro de Isis FogaçaAo Seu Dispor, se envolve em questões como essas com a pretensão de respondê-las e debatê-las, de maneira exagerada.

O livro começa com uma jornalista procurando um profissional do sexo para entrevistar e usar a imagem em seu documentário sobre a indústria do sexo. Durante o percurso do livro, acaba abordando a objetificação do corpo, que fundamenta e endossa a prostituição; alguns motivos das clientes mulheres procurarem esses profissionais; porém acaba pecando nos detalhes sobre como o profissional se sente ao exercer essa profissão.

O único momento que o lado do profissional tem destaque é com relação ao autocuidado, visto que é com o corpo que ele trabalha, é enfatizado várias vezes todas as formas como ele se prepara para atender às clientes.

O livro é muito bom em trazer para o debate todos esses temas e aborda nos diálogos o quanto acredita que a prostituição não foi uma escolha para o personagem, porém falta informações e cenas que confirmem essa afirmação. O protagonista masculino iniciou a profissão aos 18 anos, e desde então já se formou em Educação Física, usa uma academia como fachada para seu real serviço, porém não temos informações sobre o que o levou a continuar se prostituindo após se formar.

Falando na academia que ele usa como fachada, também é ignorado esse fato. Em momento algum, os sócios donos da Academia aparentam estar com medo de serem muito óbvios sobre a ilegalidade dos serviços sendo oferecidos pela academia e falam até em expandir esse serviço para outros países. O fato desse negócio ser ilegal poderia ser um fator interessante a ser abordado no livro.

O preconceito é amplamente explorado no livro, falando desde o preconceito que a própria jornalista tem ao entrevistar Dom até o preconceito que ele teme que ele e sua família sofreriam ao anunciar publicamente sua real profissão. Em alguns momentos a escrita da autora se torna exagerada ao falar que o profissional descontava 10% das clientes por atraso, porque tempo é dinheiro. Quem é profissional autônomo sabe que não é bem assim que funciona. Esses momentos acabam sendo engraçados, mesmo sem ser essa a intenção.

De um modo geral, a história do livro traz temas e reflexões muito interessantes e pertinentes. É uma leitura rápida e quente. Tem várias cenas de sexo explícito, na qual Dom está relatando para a jornalista sobre suas clientes, ou seja, trata-se de um livro erótico. Como livro erótico, é ótimo. Já como romance, talvez precisasse de mais cenas de conversa particular entre Dom e a jornalista, mas o final acabou se tornando muito bom ❤ ❤

Recomendo para quem gostou de Jack Hammer (Melissa Andrea e Tabatha Vargo).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s