The Varlet And The Voyeur – L.H. Cosway e Penny Reid

The Varlet And the Voyeur
Rugby #4
Autoras: L.H. Cosway e Penny Reid
Ano: 2018 / Páginas: 410
Idioma: Inglês
Editora: Cipher-Naught

Nota: 4/5

Amazon

O PERVERTIDO (e a OBSERVADORA): William Moore está longe de casa. Um garoto de fazenda do Oklahoma, agora é o mais respeitado membro do time de rugby Irlandês. Mas as aparências geralmente enganam, e Will não é totalmente limpo, o americano típico bom moço que todos imaginam que ele seja. Ele tem um segredo que irá manchar sua reputação para sempre. A OBSERVADORA (e o PERVERTIDO): Joesy Kavanagh se autoproclama uma bagunça, mas ela finalmente conseguiu manter sua mer.. uh… sua atitude correta. Ela está focada em se tornar uma veterinária, mas há uma pequena pedra em seu caminho. Sua condição de moradia teve um fim repentino, deixando-a sem casa e necessitando de um emprego para pagar sua universidade. O PLANO: Ele precisa de uma companheira para mantê-lo no caminho certo. Ela precisa de um apartamento com aluguel grátis. Will está convencido de que Joesy será a companheira perfeita, já que ela é brutalmente honesta e basicamente ‘um dos caras.’ Joesy está convencida de que pode fazer com que Will não sucumba às suas atividades voyeurísticas não desgrudando os olhos deles. Exceto, o que aconteceu quando o servo é tentado pelo observador, e vice-versa?! Talvez algo muito, muito volátil. E complicado. (Tradução Blog Caçadoras de Spoiler)

Resenha: No último livro da série Rugby, Cosway e Reid entregam um romance divertido, mas com uma solução fácil.

The Varlet and the Voyeur inicia com uma premissa atual e interessante. O protagonista Will Moore está para ter seu fetiche exposto para o mundo, devido a uma informação vazada da sua vida particular. O fato de que Will é um voyeur, uma pessoa que gosta de observar outras no ato sexual, acaba vazando para uma revista e como parte de sua decisão de parar com esse comportamento, ele decide que precisa arrumar uma colega de quarto que possa ajudá-lo a se manter na linha. Enquanto isso Joesy Kavanagh é expulsa de casa pelos pais, que estão falidos e precisam se mudar para um casa menor. Joesy está a procura de uma casa e uma renda extra para continuar pagando sua universidade de medicina veterinária. Seu caminho acaba se cruzando com Will devido a amigos em comum e decide tentar um arranjo com ele: morar com ele e o ajudar a se manter abstinente em troca de aluguel grátis.

O tema de que uma repercussão ruim na mídia pode acabar com sua carreira é explorada de maneira pontual e muitas vezes superficial. É obviamente um tema polêmico, principalmente com todas as denúncias de assédio e abuso acontecendo  atualmente (#MeToo), e foi tratado como apenas uma reflexão e citação de longe. Principalmente porque na história a denúncia não foi verídica e sim inventada pelas revistas.

Outro tema interessante é como os personagens têm uma cultura diferente da brasileira. Para eles, o que mais repercutiu negativamente foi a acusação de que ele pagava prostitutas para assisti-las durante o ato sexual. A clareza do quanto pagar uma pessoa por sexo é errado, por todo um sistema de exploração de pobreza e das mulheres em situação de vulnerabilidade.

Foi interessante também a preocupação do protagonista Will também em não consumir produtos de pornografia, por também ser uma indústria majoritariamente masculina de exploração do corpo feminino e alternativas a todo esse sistema, como sites de pornografia feministas e mais politicamente corretos ❤ ❤

Os personagens que guiaram todos esses temas foram interessantes, divertidos e renderam vários momentos engraçados, porém às vezes pecaram na consistência.

Josey é uma personagem carismática, que fala sem pensar e é simplesmente direta e honesta sobre tudo (até excessivamente). Mas teve um aprendizado e crescimento pouco explorado, parece que ela simplesmente depois da convivência com o Will aprendeu a não falar mais tudo o que pensa. Pareceu um pouco uma solução mágica.

Will é um cara mais reservado, educado e um verdadeiro cavalheiro. Que também gosta de voyeurismo. Foi uma coisa muito legal mostrar que esse aspecto da sua vida particular não tem nada a ver com caráter ou com sua personalidade de uma forma geral. ❤

Ele é aquele cara que se preocupa com os pobres e que evita abusar do seu poder como celebridade, principalmente em seus encontros com mulheres e sua relação com elas. O problema é o cliché de que ele só deixa de seguir a regra e seus costumas pela Josey, porque ela é especial. Esse é um cliché cansativo e que também ficou cansativo na história.

Um pouco pro final do livro, o cliché fica evidente quando ele aceita que sua publicitária encontre as prostitutas e até pague para elas para desmentir a notícia da revista. Algo que era contra seu princípio de abusar de mulheres menos favorecidas…

Em resumo, não tem muito como falar mal da escrita ou escolha de temas para se trabalhar na história. Penny Reid e L.H. Cosway sabem muito bem como construir uma narrativa e manter o leitor entretido e curioso até o final. Porém o final da história e a construção dos personagens poderia ter sido melhor arquitetado para que os personagens não se contradissessem e mostrassem uma evolução de comportamento mais natural.

Recomendo para quem gosta da série Knitting In The City (Penny Reid), Winston Brothers (Penny Reid) e os outros livros da série Rugby (L.H. Cosway e Penny Reid).

Trilha Sonora Recomendada: Anything But Ordinary (Avril Lavigne)

Disclaimer: Livro recebido para resenha em parceria com as autoras representadas pela Social Butterfly Publicity, em troca de uma resenha honesta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s