Lembra Aquela Vez
Autor: Adam Silvera
Ano: 2017 / Páginas: 281
Idioma: Português
Editora: Rocco Jovens Leitores

Sinopse: Finalista na categoria romance juvenil do Prêmio Lambda, o mais tradicional do segmento de literatura LGBT do mundo, e celebrado por veículos como The New York Times (“lindo romance de estreia”) e Chicago Tribune (“comovente”), entre outros, Lembra aquela vez conta a história de um garoto do Bronx (re)descobrindo sua sexualidade. Aos 16 anos, Aaron carrega no pulso uma cicatriz que registra a dor pelo suicídio do pai, mas, com o apoio da mãe e da namorada, Genevieve, está determinado a seguir em frente. Quando a garota viaja para um acampamento, porém, Aaron se aproxima de Thomas, e acaba encontrando nele mais do que um melhor amigo. Confuso, Aaron considera recorrer ao LETEO, um instituto que realiza procedimentos científicos para apagar memórias indesejáveis, na tentativa de esquecer lembranças ruins e, principalmente, quem ele é. Mas será possível encontrar a felicidade fugindo de si mesmo? Com uma narrativa pungente e sincera, Adam Silvera fala sobre bullying, homofobia, medo, incertezas, ética, amizade, amor, aceitação e a procura pela felicidade.

Resenha: Eu senti tantas coisas lendo esse livro que não sei se vou conseguir expressar todas aqui ❤

Eu li esse livro em inglês, logo quando foi lançado em 2015. Demorei quase um mês para ler o livro e não foi porque estava ocupada, não. Lembra Aquele Dia (ou More Happy Than NotMais Feliz do Que Não, em tradução literal), o primeiro livro escrito pelo novato Adam Silvera e sucesso de crítica, é um livro difícil de ler, tratando de temas pesados e de uma forma lenta, cuidadosa.

O livro conta a história de Aaron, um adolescente que tentou suicídio e encontrou o próprio pai morto por suicídio também, encontra na namorada Guinevere um porto seguro para todos os seus problemas. Porém o conflito inicia quando ela é aceita em um acampamento de arte e precisará ficar um período ausente, seguindo seus próprios sonhos. Nesse período, Aaron fica amigo de Thomas, um jovem aventureiro e destemido, com quem desenvolve uma grande amizade.

Lembra Aquele Dia chega a ser agonizante de ler, a lentidão da narrativa promova no leitor o sentimento de que algo está errado com Aaron, mas não sabemos o quê e essa espera e o desenvolvimento até a revelação é sufocante. Ao poucos, o autor vai dando dicas no próprio comportamento do personagem principal, dicas que podem significar nada, mas também podem significar muita coisa, e o mistério e a incerteza é o que pode fazer com que muitos leitores menos pacientes desistam da leitura.

Para esses digo que vale a pena esperar por todas as revelações que o livro nos apresenta. Se algo, o livro traz revelações e plottwists tão intensos e desesperadores, que podem causar desorientação ao leitor mais sensível até o leitor mais experiente.

Quando lia o livro, sentia que algo grande ia acontecer a qualquer momento, porém ao mesmo tempo, eu não queria chegar lá. Por isso, demorei tanto para ler. Eu sabia que quando chegasse à resposta e descobrisse o que realmente estava acontecendo, a resposta não ia ser nada bonito.

Enfim, cheguei à resposta de tudo. Chorei muito, me lembro. Depois, apenas fiquei pensando no quanto deve doer tudo isso. Esse livro não me ensinou empatia, mas contribuiu para que eu me colocasse lá, no lugar dessas pessoas, que sofrem todos os dias com preconceitos que eu, branca, hétero, de classe média, nunca vou passar ou entender.

No mais, o livro demorou muito para acabar. Depois do fim, de todas as respostas, eu não queria mais saber o que acontecia com os personagens. Eu só queria que o sofrimento deles passasse, que ficasse tudo bem ou melhor do que antes. O livro não acaba nunca. É um livro tão pequeno, comparado com outros, mas lê-lo pareceu uma eternidade para mim. Eu imagino que tenha sido por todo esse clima errado e um ritmo lento, além de claro todos os temas difíceis de ler e sentir.

Queria poder dizer que é um livro leve, divertido e fácil de ler, mas não é. Então, prepare-se, porque ainda assim vale a pena.

Enfim, recomendo a quem gostou de Will & Will (John Green e David Leviathan), Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo (Benjamin Alire Sáenz) e 1 + 1: A Matemática do Amor (Vinicius Grossos e Augusto Alvarenga).

Anúncios

Um comentário em “Lembra Aquela Vez – Adam Silvera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s