Tartarugas Até Lá Embaixo
Autor: John Green
Ano: 2017 / Páginas: 256
Idioma: Português
Editora: Intrínseca

Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Resenha: John Green acerta ao explorar saúde mental no livro mais autobiográfico de sua carreira ❤

Desde Quem É Você, Alasca? (2005), John se destacou pelos seus protagonistas nerds e adolescentes excêntricos sofrendo por amor.  Esse padrão é duramente criticado pela comunidade, apesar de mesmo assim, premiado e sucesso de vendas mundialmente. Seu último livro A Culpa É Das Estrelas (2012) superou todas as expectativas e o tornou o tremendo sucesso que é hoje, ganhando filme com Shailene Woodley, Ansel Elgort e Nat Wolff.

John Green sempre comentava no twitter das dificuldades que estava sofrendo de escrever um livro após ACEDE (A Culpa É Das Estrelas), visto que tal sucesso seria difícil de replicar e a expectativa do público e indústria para seu próximo lançamento era alta. Ao mesmo tempo, ele também sempre comentava em seus vlogs (Canal Vlogbrothers) e redes sociais das dificuldades que passava com sua saúde mental. John tem TOC (transtorno obsessivo-compulsivo), uma condição de extrema ansiedade que afeta as atividades diárias de uma pessoa, provocando prejuízos na vida social, no trabalho, nos estudos, entre outros.

Todo esse sofrimento com a condição foi canalizado e transferido para a personagem Aza Holmes, de Tartarugas Até Lá Embaixo. A metáfora de ver sua doença mental como uma espiral é prática e um recurso que os próprios profissionais de saúde mental também usam para explicar o aumento da intensidade dos pensamentos obsessivos. O autor acaba usando a metáfora e deixando de lado detalhes importantes sobre o funcionamento da espiral, como a cada vez que ele segue as instruções compulsivas do pensamento, nunca é o suficiente para que o pensamento vá embora, ele continua afunilando, e isso se dá justamente porque o pensamento foi ouvido e reforçado pela ação.

Também nos momentos de sessão em terapia, quando a terapeuta propõe uma intervenção, não é explicado o que seria a intervenção de Exposição, que geralmente é acompanhada de outra técnica chamada “Prevenção de Resposta”. OK, talvez ele tenha achado que seria pouco interessante descrever as técnicas e explicá-las o porquê delas, mas explicar esses procedimentos faz parte da terapia, assim como explicar o funcionamento do TOC no cérebro (a obsessão e compulsão).

Bem, apesar dessas duas críticas a respeito da falta de explicação sobre a doença vivida por Aza, toda a forma como a doença é retratada, como Aza vê e sente a doença, é muito realista e sincera. Obviamente, baseada na vida do autor e como ele sente e vivencia a doença que ele também sofre. É interessante como vemos que a família e os amigos de Aza também são afetados pelos sintomas da doença dela, muitas vezes eles ficam ansiosos também e pessoas com pensamentos obsessivos podem ser extremamente cansativos para as pessoas ao redor. Enfim, a vivencia foi retratada de maneira complexa e o mais realista possível ❤

O livro poderia ser só sobre a doença de Aza e como todos lidam (ou não) com isso, mas ainda tem outro ponto do enredo. Aza reencontra um amigo de infância, filho de um bilionário, o pai dele desapareceu porque estava a ponto de enfrentar um processo judicial. Ela e a amiga estão tentando encontrar pistas do paradeiro dele e parte disso envolve ter contato novamente com o filho do bilionário.

Dentro desse núcleo surgem temas, como fama, dinheiro e sobre a constante dúvida do menino sobre se as pessoas querem ser amigas dele pelo dinheiro que tem ou por quem ele é, e se realmente é possível separar as duas coisas, afinal. E claro, ele também está passando por uma situação difícil, na qual não sabe do paradeiro do pai e tem sentimentos dúbios sobre querer encontrá-lo ou não. Os questionamentos são legítimos e interessantes, e também acredito vir dos sentimentos que o próprio John Green enfrenta diariamente. Outra semelhança de John com o personagem masculino é a respeito dele ter um irmão mais novo e também ser escritor.

Como dito anteriormente, Tartarugas Até Lá Embaixo é evidentemente o livro mais autobiográfico do John Green. O livro que ele precisava escrever para lidar com as dificuldades que estava passando com sua doença mental, com a fama e o dinheiro que o último sucesso (ACEDE) o proporcionou e todas as mudanças que aconteceram em sua vida depois dele ❤

Recomendo para quem gostou de Por Lugares Incríveis (Jennifer Niven), À Procura de Audrey (Sophie Kinsella) e Minha Irmã Rosa (Justine Larbalestier)

Trilha Sonora: Alone (Halsey)

Um comentário em “Tartarugas Até Lá Embaixo – John Green

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s